Uma brilhante constelação

on Sep 3, 2019 in Aterragem | No Comments

Vega, Orion, Sirius, Altair, são nomes para sonhar ao olhar o céu estrelado. Nos anos 20 e 30 eram também sinónimo dos belos e velozes aviões da jovem empresa americana Lockheed, recordistas tripulados pelos nomes mais conhecidos da aviação da época. A origem do Lockheed Vega e seus sucessores foi o fracassado S-1 Sportplane de 1919 dos irmãos Loughead e de Jack Northrop: um S-1 custava oito Curtiss JN-4 Jenny, um biplano vendido ao desbarato pelo exército no pós-guerra. O S-1 era futurista e rápido, graças à sua fuselagem monocoque contraplacado, fabricada por processo inovador: as camadas de madeira eram coladas em dois moldes de cimento e depois comprimidas por uma bexiga de borracha insuflável, após estes serem unidos.

A memória do S-1 uniu de novo os seus progenitores. Um novo avião comercial, de fuselagem monocoque e asa cantilever, isto é, sem apoios externos. A Lockheed Aircraft Company nasce em 1926 (“Lockheed” é a pronúncia correcta de “Loughead”) e o Vega foi o seu primeiro avião. Desta primeira geração de Lockheeds e seu admirável panteão de pilotos, entre 1926 e 1936, Wiley Post e o Vega Winnie Mae têm um brilho particular.

Fascinado pelo voo, Post usou a compensação sobre a perda de um olho em acidente de trabalho para comprar o seu primeiro avião. Mais tarde foi piloto particular do magnata do petróleo F.C. Hall, dono do Vega Winnie Mae, o nome da sua filha. Após quebrar vários recordes de velocidade, Post decidiu, com o apoio de Hall, dar a volta ao mundo e bater o recorde de 21 dias do alemão Graf Zeppelin, de 1929. A 23 de Junho de 1931 o Winnie Mae saiu de Long Island, Nova Iorque, com Post sentado numa poltrona e Harold Gatty no interior da fuselagem, como navegador. Oito dias, 15 horas e 14 escalas depois, o recorde do Graf tinha sido pulverizado e os aviadores recebidos em ovação. Nesse mesmo ano, Post comprou o Winnie Mae, usando-o em 1933 para novo recorde, desta vez a solo, substituindo Harold Gatty pelo apoio de um piloto automático Sperry: sete dias e 18 horas.

Após dar a volta ao mundo duas vezes, Post trocou a distância pela altitude, e o Winnie Mae subiu ao princípio da estratosfera. Sendo impossível pressurizar o Vega, Post trabalhou com a Goodrich no primeiro fato de pressurização funcional. Entre várias modificações, o Winnie ganhou um trem largável em voo, reduzindo peso e arrasto. A 5 Setembro de 1934 Post chegou aos 50 mil pés (15,24 quilómetros) e descobriu o efeito da jet stream. Em 35, contra aviso da Lockheed, “cruzou” um Orion com um Explorer, originando um avião que lhe custou a vida em Agosto, num voo para o Alasca. O Winnie Mae foi adquirido pelo Instituto Smithsonian à viúva de Post. Brilha hoje em Washington no National Air and Space Museum.

 

por Ricardo Reis

Arquivos

web design & development 262media.com

A UP Magazine colocou cookies no seu computador para ajudar a melhorar este site. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.