Portugal é UP

em Sep 1, 2012 in Editorial Convidado | No Comments

Suba a bordo do avião do jornalista Ricardo Alexandre e aterre nalgumas das mais belas e carismáticas paisagens de Portugal.

Caros passageiros, vamos aterrar na cidade do Porto. Podia ser Lisboa ou Faro ou Funchal, mas permitam-me o privilégio inicial às raízes.

No Porto há um primeiro ponto de paragem obrigatória: o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, com as suas linhas retas e soluções surpreendentes, projeto do mais famoso arquiteto português, Álvaro Siza. Mas Serralves é muito mais: é o Jazz no Parque junto à casa de chá com os melhores scones da cidade, são os jardins carinhosamente cuidados a convidarem ao passeio e à leitura, é a esplanada de um museu que tem das melhores programações de arte contemporânea da Europa. Ainda na zona da Boavista, não poderá perder a Casa da Música, projetada pelo holandês Rem Koolhaas.

À noite deixe levar-se pela contagiante movida portuense no centro da cidade, na zona da Baixa. O Porto atual fervilha de projetos jovens, nas artes e cultura, tem uma insuperável oferta na restauração em qualidade/preço, gente hospitaleira e um centro histórico que é património da humanidade. E siga 40 km para norte, Guimarães, primeira capital do país. Em 2012 é Capital Europeia da Cultura. Uma visita ao Paço dos Duques, uma subida à Penha, o Largo da Oliveira, um espetáculo no Vila Flor, cerveja geladinha e bem tirada com petiscos a condizer na cervejaria Martins, no Toural.

Agora imagine que aterra em Faro. Se, para si, Portugal é praia, não há melhor que o Algarve (sugiro a Praia do Barril ou a da Ilha de Tavira) e a costa vicentina (Carrapateira, Castelejo, Cordoama), mas, subindo no mapa deste retângulo feito país há quase 900 anos, pode encontrar o paraíso para o surf na Ericeira ou Peniche, o pitoresco na Nazaré, o areal da Figueira, a Costa Nova em Aveiro e… umas dezenas de quilómetros para norte, já pode usufruir das praias de Vila Nova de Gaia: limpas, sem multidões e… já poderá visitar as famosas caves de Vinho do Porto. A norte do Porto, experimente Vila do Conde e Póvoa de Varzim.

Não, senhor passageiro, este roteiro não passa por Lisboa, das mais belas cidades do mundo, mas sobre a capital portuguesa estou certo de que encontrará boa informação noutros textos e ocasiões. Aqui, destaco outras paixões do meu olhar e sentir: Marvão e Monsaraz, no Alentejo, Paredes de Coura, no Minho (com um soberbo festival rock, em Agosto), Foz Côa, no Douro, e pequenas aldeias onde o tempo não parou mas exige ser usufruído sem correrias: por exemplo, Almendra, em Figueira de Castelo Rodrigo.

No país do fado, também há música que aí foi beber mas que vestiu a roupa da contemporaneidade: em Portugal não deixe de ouvir e ver os projetos A Naifa e Dead Combo.

Este país vale a pena. Aproveite senhor passageiro: crises financeiras como esta tendem a baixar os preços para o turismo.

por Ricardo Alexandre

Arquivos

Ricardo Alexandre

É jornalista da Antena1 do grupo RTP. Foi diretor-adjunto da rádio, coordenou o morning show, fez reportagem de guerra, tendo obtido dois prémios nacionais. Tem cinco livros publicados, incluindo sobre o Irão, Palestina e Jugoslávia. Professor universitário, é licenciado em Sociologia, mestre em Sociedades e Políticas Europeias, estando a fazer doutoramento em Relações Internacionais. Adora viajar.

web design & development 262media.com