Novos inícios

on Nov 1, 2019 in Bagagem de Mão | No Comments

Gestão e política de inovação como ideias em visão ampliada e panorâmica.

Antes de tudo, a inovação começa por ser uma mudança de ideias. Sim… a inovação é algo prático, algo que se vê, que se sente, que transforma e impacta. São novos produtos, métodos de fabrico melhorados, tecnologias introduzidas por empresas industriais, pesquisadas por laboratórios especializados em investigação e desenvolvimento, implementados por equipas multidisciplinares em setores abrangendo toda a economia, desde a agricultura aos serviços.

A inovação é um novo início. E isso significa uma nova direção, um novo ritmo. Há um olhar fresco, uma transcendência face ao conhecido, uma surpresa na maneira de perceber o mundo. Trata-se de um movimento de entrada no desconhecido, de um gesto que é ao mesmo tempo ação e comunicação. E é ainda a manifestação de uma capacidade de autossuperação que se constrói na base de uma combinação simultaneamente criativa e destrutiva de elementos que já existiam em si mesmos mas não estruturados até aí sob a forma de um novo arranjo, padrão ou solução.

Vejamos como dois livros abordam a inovação como mutação de ideias e decisões em dois domínios: instituições públicas e economia privada. Como se conduz o processo de política pública na área de ciência e tecnologia? Como evoluem os processos de gestão nas organizações produtivas?

A primeira pergunta é abordada em Handbook on Science and Public Policy (Edward Elgar), editado por D. Simon, S. Kuhlmann, J. Stamm e W. Canzler. A segunda responde-se em The Oxford Handbook of Management Ideas (Oxford University Press), editado por A. Sturdy, S. Heusinkveld, T. Reay e D. Strang. Os contributos em Handbook on Science referem-se a uma paisagem estratégica em fluxo. A política de investigação e inovação importa para um cada vez maior número de países, e não apenas os mais ricos países dos típicos círculos da OCDE ou do G20. E os princípios-chave que devem estar nos sistemas de pesquisa e engenharia estão hoje debaixo de pressão. Já não é apenas o crescimento económico ou a competitividade… é também à ciência e tecnologia que se pedem soluções para desafios como a emergência climática e a sustentabilidade social (re-invenção do trabalho, adaptação às migrações).

The Oxford Handbook mostra como as ferramentas de gestão e os modelos de governança são peças dinâmicas dessa máquina viva que é o sistema económico global. As práticas de negócio são material fundente: vertem-se no valor que a economia entrega à sociedade. O nascimento, adaptação e descontinuação das ideias de gestão têm consequências. Sacodem o mundo tanto como a ideologia (isto é, nem tudo é racional), que molda expectativas e o modo de fazer as coisas todos os dias (isto é, muito é quotidiano sonâmbulo e não-heróico). As ideias de gestão são inovações; e, como qualquer inovação, irão pertencer ao passado depois de prometerem o futuro.

 

por Sandro Mendonça

Arquivos

web design & development 262media.com

A UP Magazine colocou cookies no seu computador para ajudar a melhorar este site. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.