Check list de Romeu Bastos

on Feb 1, 2019 in Embarque Imediato | No Comments

Brand activation manager, Pernod Ricard Portugal

Minhoto de origem, fez um percurso académico atípico e foi o gosto pelos números que o trouxe para Lisboa, onde começou por estudar Matemática Aplicada. No entanto, a paixão pelos vinhos levou-o a licenciar-se em Engenharia Alimentar e Enologia. Foi responsável pelo primeiro bar de vinho a copo num clube noturno, o incontornável Lux, durante sete anos, e trabalha há outros tantos no marketing da Pernod Ricard Portugal, com marcas como Absolut ou Jameson.

pernod-ricard-portugal.com

::

Começar pelo princípio

“Viajar para mim é aprender”, diz Romeu. “Tenho sempre vontade de conhecer mais, saber mais sobre as culturas dos países que escolho visitar”. Por isso, quando viaja procura “algo que não é propriamente tangível, viver um pequeno período como se, na verdade, lá estivesse a viver, tentar perceber e sentir como é a vida de cidadão naquela cidade”. Por isso, gosta de enfiar-se nos mercados “para ver o que existe de diferente na gastronomia local” e espreitar os jardins pela “beleza da natureza, pelos aromas e pela paz!”. Elege o Hyde Park em Londres, os Jardins do Palácio de Versailles e Les Tuilleries, em Paris, e o Central Park de Nova Iorque.

Londres \\\ royalparks.org.uk/parks/hyde-park

Paris \\\ chateauversailles.fr \\\ parisinfo.com

Nova Iorque \\\ nycgovparks.org/parks/central-park

::

Toujours Paris

“Paris, terei sempre Paris! É extraordinária, sinto-me em casa e confortável numa cidade que tem tudo aquilo de que gosto. É cosmopolita por natureza, assim como a cultura dos parisienses. Em Paris, apaixonei-me e ali fiquei! Paris é uma grande e bela história de amor!” Não tem vergonha de ser “o mais cliché possível” e sempre que visita a capital francesa tem de ir à Torre Eiffel, “Não sei por que motivo (também não tem que existir um), mas este monumento exerce um enorme fascínio sobre mim…”. Da mesma forma, adora praças grandiosas como a do Duomo de Milão “pela sua beleza, energia e magnitude”, e singelas parisienses como a Place des Vosgues, “pequena, silenciosa e gelada no inverno, que é quando mais gosto dela.”

Paris \\\ toureiffel.paris

Milão \\\ duomomilano.it

::

Como em casa

Na verdade, os hotéis não são a sua prioridade quando viaja, confessa. “Tenho a sorte de ter amigos espalhados pelo mundo, razão pela qual sempre que posso fico em casas particulares.” Ainda assim, nomeia um hotel de que gosta particularmente: o Raya (na foto), em Panarea, uma das ilhas do arquipélago italiano das Eólias. “A vista de diversos pontos das ilhas, a luz, os sons, a ausência de carros” ficaram na sua memória como “uma sensação maravilhosa e uma aventura de verão com aquele toque especial!”.

Panarea \\\ hotelraya.it

::

Barriga cheia

“Sou absolutamente apaixonado pela gastronomia e é algo que gosto de explorar e perceber: como e o que comem os locais dos países que visito.” Não consegue escolher um prato, mas elege a gastronomia francesa e a italiana como suas favoritas, sendo que em Paris visita sempre a Brasserie Flo pela sopa de cebola gratinada e “o melhor mil folhas do mundo” e, em Itália, La Cucina di Nonna Nina, em San Rocco, “onde tudo é maravilhoso”. Bares e discotecas não são o que procura quando viaja, mas quando puxamos pelo seu lado boémio, diz que nenhum lugar “vai ter mais poder em mim do que o Lux”, a discoteca lisboeta.

Paris \\\ floderer-paris.com

Sanrocco \\\ nonnanina.it

Lisboa \\\ luxfragil.com

::

Momentos arty

Nas viagens diz que se sente “como uma esponja”. “Absorvo tudo e depois inspiro-me em tudo o que gosto e tudo o que vejo.” Não perde os melhores museus do mundo, como o moderno Palais de Tokyo (na foto), em Paris – “onde vejo sempre as melhores exposições” –, o Whitney Museum, “absolutamente extraordinário”, e o MoMA, onde “a qualidade e quantidade dos trabalhos expostos é maravilhosa”, ambos em Nova Iorque.

Paris \\\ palaisdetokyo.com

Nova Iorque \\\ whitney.org, moma.org

::

Sons

banda sonora que leva em viagem é sempre “muito eclética”, diz. “Gosto de quase tudo, mas tenho os meus favoritos, nunca falho numa viagem Chilly Gonzales, Arcade Fire, Fleetwood Mac, Bjork, Nina Simone ou Thom Yorke.” Em Fevereiro, Gonzalez está em digressão por França (Nantes no dia 12, Rennes a 13, Bordéus a 15 e 16); os Fleetwood circulam por várias cidades americanas entre dias 2 e 27, incluindo Tampa, na Flórida.

Bordéus \\\ chillygonzales.com

Tampa \\\ fleetwoodmac.com

::

Francis Bacon

Um dos artistas irlandeses mais amados de sempre continua na agenda das grandes exposições. Encontram-se telas de Bacon na imperdível mostra Peindre la Nuit, no francês Centre Pompidou-Metz (até 15 de Abril), dedicada à noite e sua interpretação por artistas modernos como Man Ray, Picasso ou Ed Ruscha, mas também inclui música, literatura, fotografia e vídeo. E em Lisboa, no Museu Coleção Berardo, está a exposição Quel Amour!? (até 17 de Fevereiro) dedicada aos artistas, de diferentes gerações e latitudes, que se inspiraram no amor – e lá está Francis Bacon.

Paris \\\ centrepompidou-metz.fr

Lisboa \\\ museuberardo.pt

 

por Patrícia Barnabé

Arquivos

web design & development 262media.com

A UP Magazine colocou cookies no seu computador para ajudar a melhorar este site. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.