24 Horas em Lisboa – Maria João Lopo de Carvalho

on Jan 1, 2019 in Embarque Imediato | No Comments

A escritora Maria João Lopo de Carvalho leva-nos pela capital do fado.

A romancista nasceu em 1962 e licenciou-se em línguas e literaturas modernas pela Universidade Nova de Lisboa. Fundou uma editora de livros para crianças, foi copywriter de publicidade, trabalhou em projetos sociais e foi cronista na imprensa. O Fado da Severa (Oficina do Livro, 2018) é a sua mais recente obra, onde se conta “a história e os amores da cantadeira da Mouraria que enfeitiçou a nobreza boémia”. E este é o seu roteiro da Lisboa fadista.

::

Museu do Fado

Largo do Chafariz de Dentro, 1 \\\ museudofado.pt

“Se quer conhecer a história e a tradição fadista, comece por aqui. Ouça, aprecie e encontre os maiores fadistas e guitarristas portugueses do século XIX até hoje. Aqui pode ver e sentir a história do fado – Património Imaterial da Humanidade – como em nenhum outro lugar. Aproveite para almoçar ou jantar no restaurante A Travessa, dentro do museu.”

::

Casa-Museu Amália Rodrigues

Rua de São Bento, 193 \\\ amaliarodrigues.pt

“A casa onde a diva do fado viveu durante 50 anos. Encontra-se tal e qual como Amália a deixou no dia 6 de Outubro de 1999. Podem-se observar inúmeras peças de arte, condecorações, troféus, vestidos, joias e vários objetos pessoais. Aqui o tempo parou, a voz única de Amália ouve-se por toda a parte. Uma casa plena de memórias, uma janela aberta que o leva a viajar até ao século XX. Pode ainda tomar uma refeição leve na esplanada.”

::

Clube de Fado

Rua de São João da Praça, 86 \\\ clube-de-fado.com

“Jante num dos locais mais típicos de Lisboa, no coração do bairro de Alfama, onde conceituados fadistas vêm cantar diariamente. Aqui, num ambiente castiço, pode desfrutar de um jantar tipicamente português e emocionar-se com o que vai ouvir.”

::

Senhor Vinho

Rua do Meio à Lapa, 18 \\\ http://srvinho.com

“Conheça outro bairro fadista: Madragoa. No Senhor Vinho, aberto desde 1975, pode jantar com requinte e tradição enquanto ouve um elenco notável de fadistas, em particular uma das melhores intérpretes atuais de fado: Aldina Duarte.”

::

Maria da Mouraria

Largo da Severa, 2 B \\\ mariadamouraria.pt

Este local foi, no século XIX, a taberna da Severa – a primeira fadista portuguesa (1820-1846). Maria João Lopo de Carvalho conta-nos tudo o que por aqui se passou no seu romance histórico O Fado da Severa. Hoje é uma encantadora casa de fado que recria o ambiente da época. O fadista Hélder Moutinho faz as honras da casa e todas as noites de quarta a domingo é possível jantar ao som da guitarra e da viola e das muitas vozes que por ali vão passando.

 

por João Macdonald /// foto Augusto Brázio

Arquivos

+ Fado Popular

1 /// Mural

Rua de São Tomé

“Na Rua de São Tomé um mural representa a icónica fadista Amália Rodrigues. Trata- -se de um trabalho com a assinatura do famoso artista de arte urbana Vhils, feito em colaboração com os calceteiros de Lisboa. Uma bela homenagem ao fado que nasceu na rua, e também aos calceteiros de Lisboa, os primeiros artistas urbanos da cidade.”

::

2 /// Grupo Desportivo da Mouraria

Travessa do Terreirinho, 799

“Nesta coletividade conhece-se o lado mais genuíno do fado. É o local certo, bem no coração do bairro da Mouraria, onde a música acontece de forma espontânea e natural.”

::

3 /// Tasca do Chico

Rua Diário de Notícias, 39 \\\ facebook.com/atasca.dochico

“No Bairro Alto não pode deixar de ir à Tasca do Chico, um caso sério no fado dito 'vadio’ tanto para artistas consagrados como para potenciais estrelas ou apenas para quem não passa sem desabafar o seu fado. Um local genuíno.”

web design & development 262media.com

A UP Magazine colocou cookies no seu computador para ajudar a melhorar este site. Pode alterar as suas definições de cookies a qualquer altura. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.